Já pensou em incluir cafeterias ou visitas às fazendas/torrefadoras de café no roteiro de sua viagem?! Muitas pessoas incluem endereços gastronômicos no programa de férias e o nosso convite nesse post é incluir endereços cafeinados em sua lista.

Para tanto, escolhemos alguns destinos nacionais e internacionais para agradar gregos e troianos.

Colômbia – terra de Juan Valdez

Provavelmente, os quatro cantos do mundo já viram ou ouviram falar da marca Juan Valdez ou Cafés de Colômbia. A fama dos cafés colombianos se espalhou por meio de uma campanha de marketing intensa e longa. Já foram mais de 40 anos construindo essa marca e isso se reflete do dia a dia das pessoas. O país definitivamente respira a cultura do café em diversos aspectos da vida do consumidor.

O turismo voltado para o café, por exemplo, é muito forte. Além dos hotéis fazenda de café, o que mais chama atenção é o parque de diversões Parque Del Café. Localizado na cidade de Quindío, essa é uma atração para toda a família. Montanha Russa, passeios a cavalo, simulação de vilas de produtores de café colombianos contam com pés de café como cenário. Essa foi uma forma lúdica para propagar/estimular a cultura do café na população.

Parece estranho? O vídeo abaixo mostra como brinquedos de parque de diversão estão entre os pés de café.

Seattle (EUA) – cidade origem da rede Starbucks

O café é levado bem a sério pelos moradores de Seattle, Estados Unidos. A demanda por grãos especiais é tanta, que estimula a proliferação das mais variadas cafeterias. A cidade, porém, é mundialmente conhecida por ser o local de nascimento da maior rede de cafeterias do mundo: a Starbucks.

A primeira loja da marca foi inaugurada exatamente no dia 30 de março de 1971, no mercado público Pike Place. De lá pra cá, ganhou o mundo e ajudou a popularizar a paixão pelo café.

Atualmente, a marca conta com uma loja conceito na cidade que vale a visita. Praticamente no mesmo endereço (Pike Street, 1124), ela integra a torrefação com o atendimento de clientes. Assim, cada visitante pode observar de perto o complexo processo de torra enquanto degusta um cappuccino ou faz reuniões de negócio.

Segundo CEO da marca, Howard Schultz, o objetivo foi oferecer uma experiência única para quem frequenta a Starbucks. “Criamos a fábrica Willy Wonka do café”, afirma.

Oslo (Noruega) – paixão nórdica por grãos especiais

Dominada por cafeterias e torrefações independentes, a Noruega registra uma média de consumo de 9kg de café por pessoa ao ano. É a terra do especialista Tim Wendelboe, responsável por aprofundar discussões sobre o tema no mundo e inserir a preocupação de cafés de qualidade na gastronomia. Foi ele quem convenceu René Redzepi, chef e proprietário do Noma (melhor restaurante do mundo, segundo a lista inglesa 50 Best Restaurants), investir no serviço de café.

A Noruega como um todo é interessante para os amantes do café, mas Oslo em especial recebe muitos cafés brasileiros por intermédio de Tim e outras torrefações como Solberg & Hansen.

amantes de café

Serviço:

Tim Wendelboe
Grünersgate 1, na esquina do Fossveien em Grünerløkka, Oslo.
https://www.timwendelboe.no/

Solberg & Hansen AS
Postboks 19, Manglerud, 0612, Oslo.
http://sh.no/

Imagem: Benjamin A Ward

Etiópia – país de origem de todas as plantas de café

O problema de listas como essas é que muitos lugares incríveis ficam de fora. Alguns amantes do café citariam Melbourne, Austrália ou Japão como grandes destinos para experimentar cafés excepcionais. Porém, nada se compara com o local de nascimento de café: a Etiópia.

Já contamos aqui a história de como o café foi descoberto pelo homem, mas vale reforçar que tanto as plantas arábica e robusta nasceram naturalmente em território etíope. Portanto, nada mais interessante que descobrir cafeterias e como o café é consumido no país nos dias atuais.

Segundo o site Migrationology, cafeterias de diferentes perfis se espalham pelas cidades. Tradições, técnicas milenares, cerimônias se misturam com tendências e novidades dos dias de hoje. Oriente e Ocidente se comunicam enriquecendo a experiência no berço do café.

Endereços como TO.MO.CA, Mokarar (Harar Coffee), Alem Bunna, Kaldi’s Coffee são destaque, mas o vídeo a seguir que mostra o café sendo servido nas ruas. Isso revela como a cultura do café pode ser rica em qualquer circunstância.

São Paulo, Brasil

Não podemos deixar o maior produtor de café do mundo fora do seu roteiro. A cultura do café na metrópole é efervescente com novidades pipocando a todo momento. Novas cafeterias, laboratórios de estudos aplicados ao café, tendências e modas que começam na cidade ecoam por todo o país. É aqui, por exemplo, que muitos turistas estrangeiros aportam para conhecer “a mágica” dos baristas que podem tropeçar em pés de café em suas expedições. Muito diferente de um barista dos países nórdicos ou americanos!

Sofá Café, Coffee Lab, Isso É Café, King of Fork, Por um Punhado de Dólares, Beluga Café, Benni Café, The Little Coffee Shop e Torra Clara são alguns dos endereços que enriquecem o cenário cafeinado da cidade. Nossa dica, porém, caminha para o lado oposto: o lado da roça.

Se você estiver em São Paulo, dê uma passadinha no Instituto Biológico. Lá, você encontra o maior cafezal urbano de que se tem notícia!!

Já falamos sobre ele aqui, mas vale reforçar que vale a visita. Ele fica a 10 minutos da Paulista!

 

2 ideias sobre “05 Destinos para amantes de café

    • Renata Kurusu Gancev diz:

      Oi Maria Inês! Com certeza as cafeterias de São Paulo já são uma experiência feliz de café.
      Mas se passar por uma dessas cidades, também vale a pena conhecer 😉
      Um abraço,
      Renata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *