Final de setembro, a colheita já está quase terminando e o cafezal se prepara para a chegada do período chuvoso. Nosso querido cafeeiro, que estava dormindo durante o inverno seco, enquanto colhíamos seus frutos maduros, vai acordar com a chuva e nos presentear com suas lindas flores brancas. É o nascimento da próxima safra!

florada no cafezal
   Flores no pé de CAFÉ

O parque cafeeiro do Brasil é muito grande, de acordo com o último levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento a Conab, são quase dois milhões e quatrocentos mil hectares cobertos com fileiras de pés de café, desde a Mogiana Paulista até a Zona da Mata, passando pelo Sul de Minas, Norte do Paraná, Oeste da Bahia até o Espírito Santo… é muito café!

A chuva vai chegando de mansinho, molha uma área, depois a outra… e as primeiras flores vão aparecendo.

A florada do café nunca é uniforme, pois o período de chuva se inicia em momentos diferentes dependendo da região, inclusive a florada pode ser heterogênea até mesmo dentro da mesma fazenda. Como consequência, a maturação dos grãos também vai acontecer em momentos diferentes e o produtor deverá observar o momento de iniciar a colheita de forma a colher o maior número de grãos cereja (maduro) possível.

image002

De agora em diante é importante que as chuvas sejam regulares para que tenhamos um bom percentual de “pega”, ou seja, de flores que acabam virando chumbinhos, futuros frutos. No ano passado, por exemplo, tivemos uma seca bem severa durante o período de granação dos grãos, que acabaram ficando bastante miúdos.

Os grãos de peneira 17 e acima, os maiores, ficaram mais escassos

Agora é encher os olhos com o “véu de noiva” que paira sobre o cafezal essa época e rezar para que São Pedro nos dê bastante chuva. E tudo isso regado a muito café especial do GrãoGourmet.com 😉

Entre para nosso clube e receba os melhores cafés do Brasil todo mês na sua casa!

 

Leia também:

Grão Gourmet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *