Arquivos de Categoria: Contos Cafeinados

Histórias curtas sobre café, contadas com o coração.

Contos Cafeinados – Luiz Marinho – 6

contos cafeinados - pedro santiago

Café no Centro Você mal começou a ler estas linhas e já foi provavelmente enganado. Mas, afinal o que fazer, sendo a mentira a base da nossa sociedade desde que Ulisses enganou os troianos com o Cavalo e Isolda, aquela que nos ensinou a amar, enrolou o próprio deus com a história sobre quem tinha estado entre suas coxas. […]

Contos Cafeinados – Mário Bentes – 5

contos cafeinados - pedro santiago

A escritora, a Olivetti e um pires vazio. Por mais que as cortinas finas sobre as janelas abertas bruxuleassem devagar ao sabor da brisa da alta madrugada, a máquina de escrever não parava um segundo. A dona das mãos maduras sobre o teclado rígido, mas ergonomicamente adequado, não se deixava encantar por nenhum dos detalhes […]

Contos Cafeinados – Julio Rito – 4

contos cafeinados - pedro santiago

O pequeno príncipe e a máquina de café Chegava a época das férias de julho em São Paulo. Fazia frio e a diversão eram as festas de São João no meio da rua Conceição Veloso, no larguinho. Fogueira, mãe-da-rua, pião, pula sela, palha ou chumbo, bola de gude e claro, futebol! Muito futebol! Não havia limite […]

Contos Cafeinados – Viviane Vieira – 3

contos cafeinados - pedro santiago

Aqui jaz minha infância Quando alguém diz que cheiro de café lembra infância ou casa de vó, parece frase feita ou lugar comum. De certo, todos têm um lugar comum para relembrar. Eu também tenho. Nos anos 1980, minha avó paterna, mineira de Santa Bárbara, tinha um pequeno cafezal no enorme quintal de sua casa, […]

Contos Cafeinados – Djalma Sampaio – 2

contos cafeinados - pedro santiago

O cafezal que rendeu frutos “Intensidade e energia eram o que me faltava e o que mais desejava. Minha infância foi difícil, com muitos problemas de saúde. Passar três meses internado em um hospital era a única certeza que tinha em cada virada de ano. A cada dia no leito do hospital, reunia minhas forças […]