Não só de medalhas e encontros entre nações marcaram os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Houve pedido de casamento, torcida para juiz, medalhas brasileiras em esportes que muitos nem sabiam que existiam e teve também briga pelo café. Quem diria que nosso café geraria tanto assunto na imprensa nacional e internacional, não é mesmo?!

Seguindo o espírito olímpico de celebrar as diferenças culturais entre países, preparamos um post resumindo como cada cultura trata seu café. Lembrando que não existe jeito certo ou errado, o importante é aproveitar essa delícia do jeito que mais agrada cada um.

aros olimpicos GooglenlESTADOS UNIDOS
Esse é o país que mais consome café no mundo, sendo seguido pelo Brasil. Por lá, os cafés aromatizados reinam e sempre são servidos em copos grandes de papel. O filtrado e por infusão são os mais comuns e, durante o verão, o café gelado é um grande sucesso.

TÓQUIO
Imagine comprar seu café em lata naquelas máquinas de distribuição que são encontradas em locais de grande circulação de pessoas, como o metrô?! É assim que muitos japoneses tomam seu café em Tóquio. Servido em latinhas ou em garrafas de plástico, o café deve ter acesso rápido e fácil para os consumidores que lutam contra o tempo na cidade.

ITÁLIA
A cultura do café no mundo deve muito para esse país. Graças aos italianos, hoje temos espressos, ristrettos e foi lá que a primeira “loja de café” (cafeteria) foi inaugurada, em Veneza no ano de 1645. O Brasil ainda engatinhava quando os imensos bares de Nápoles incentivou a cultura do consumo do café com pouco açúcar adicionado durante a extração.

CHINA
Por ainda não estarem acostumado com o sabor intenso do café, os chineses estão adicionando ingredientes como caramelo e os mais diversos acompanhamentos em calda.

ORIENTE MÉDIO
Adicionar especiarias ao café não é apenas uma questão de sabor, trata-se de um ato cheio de significados. Segundo o site da Illy, “oferecer semente de cardamomo no café, por exemplo, é sinal de hospitalidade”.

FRANÇA
Cafés filtrados sempre acompanhados de croissants e baguetes são preferencia nacional. Na região norte do país, o espresso mais longo é apreciado também. Vale lembrar que os cafés parisienses receberam grandes intelectuais como Voltaire e Honoré de Balzac entre os séculos XVII e XIX.

ALEMANHA
O “fast Coffee” ou o hábito de consumir a bebida o mais rápido possível tem mudando gradativamente na Alemanha. Aos poucos, a cultura do café de qualidade preparado com cuidado e atenção está ganhando espaço. Por enquanto, o café filtrado é preferência entre os alemães.

Nossa paixão pelo café nos une!
Viva o café especial… em qualquer país!

Informações: site Illy e Sindicafé.

Você conhece o Bulletproof Coffee?

Saiba mais
Equipe Grão Gourmet

A equipe Grão Gourmet que escreve para o blog é formada por: A Renata e o Boris, fundadores do Grão, e a Kelly, uma jornalista que sabe muito de café!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *