Conheça os cafés mais caros do mundo

Investimento é algo muito importante e particular para cada um. Muitas pessoas investem em posses, como casas, carros e bens materiais. Outras investem em experiências como viagem, gastronomia ou algum tipo de lazer. Porém, nem todos os investimentos são tão comuns quanto parecem. Algumas pessoas, por exemplo, investem em cafés.

É isso mesmo. Muitos apaixonados por café saem pelo mundo procurando os melhores, mais saborosos e mais caros cafés. Muitas vezes, o que torna os grãos caros e únicos são as técnicas de cultivo ou até mesmo o processo de produção.

Mas, para entender um pouco sobre todo esse processo, precisamos saber como o café chega até a nossa mesa.

Então, como é o processo de produção do café?

No mundo todo, anualmente, são produzidas cerca de 155 milhões de sacas de café – padrão de 60 kg. O maior produtor e exportador do grão é o Brasil, com cerca de 50 milhões de sacas, que equivalem a 30% de todo produto exportado.

O processo de produção do café se diferencia dependendo da região. Esse processo começa com a adubação. O adubo correto corrige o solo para que este fique próprio para plantação e cultivo. Esse primeiro passo é importante e essencial para o restante da produção e fornece ao solo cálcio, magnésio, elevação do Ph e até mesmo a minimização de efeitos tóxicos do solo, que acontecem por conta do alumínio e do manganês.

Após essa etapa é hora da colheita. Para isso, os produtores e especialistas devem conferir se cerca de 90% dos frutos está maduro. Na maioria das regiões do Brasil, essa fase acontece entre julho e setembro.

Depois, o café passa pela secagem, que é feita em um ambiente próprio, constituído e cimento, tijolos ou chão batido, ou até terreiro suspenso para cafés especiais. O processo também pode ser feito de maneira mecânica.

O processo de produção do café até chegar na sua casa
O processo de produção do café até chegar na sua xícara

Por último, mas não menos importante, o café passa pela armazenagem em sacas ou big bags, que permitem que o grão fique guardado até 3 anos, sem deterioração.

Esse é o processo de produção do café. Alguns cafés passam por processos diferentes, tanto de cultivo quanto de produção: e é isso que os torna ainda mais caros. Dá só uma olhada.

Os Cafés mais Caros do Mundo

Sim, agora vamos conhecer os cafés mais caros do mundo, normalmente alcançando os valores por causa da localização, forma de cultivo, produção, sabor ou raridade!

Kopi Luwak

O grão Kopi Luwak, também conhecido como café Civeta, é produzido na região da Indonésia, e ficou conhecido por seu processo de produção um tanto peculiar. Primeiramente, os grãos são ingeridos por Civetas, mamíferos típicos da indonésia. Durante o processo digestivo, o animal libera enzimas e ácidos sobre o grão de café, que passa por um processo de fermentação natural.

Muitas pessoas dizem que o café produzido dentro do Civeta adquire um leve sabor de frutas vermelhas, sem nenhum índice de acidez e um leve gosto amargo. O quilo deste café é vendido por, aproximadamente, US$ 2.880!

Mamífero Kupi Lowak
Mamífero Kopi Luwak, que é essencial para a produção de um dos cafés mais caros do mundo.

Jamaica Blue Montain Coffee

O que faz desse café um dos mais caros do mundo não é como é produzido, e sim onde. O Jamaica Blue Montain Coffee é um café produzido a mais de 1.500 metros do nível do mar, e é conhecido pelo sabor leve e sem amargura. Isso acontece porque os grãos são produzidos em um clima frio e úmido.

Além de ser uma marca reconhecida, o Jamaica Blue Montain se tornou um selo de qualidade internacional. Por isso, o preço do quilo chega a, aproximadamente, US$ 200.

Blue Montain Coffee, cultivado na Jamaica
Blue Montain Coffee, cultivado na Jamaica

Black Ivory Coffee

Já imaginou um elefante participando do processo de produção de um café? O Black Ivory Coffe é feito assim!

Primeiro, os grãos de café são plantados e colhidos a 1.500 m de altitude, na Tailândia. Depois, são esmagados por elefantes e ainda engolidos por eles! O café passa pela digestão do animal e é expelido nas fezes. Quem já experimentou diz que o café apresenta gostos sutis de ervas e chocolate, além de ter baixa acidez. O preço do quilo custa aproximadamente US$ 1.200.

Black Ivory Coffee, produzido através do sistema digestivo dos elefantes
Black Ivory Coffee, produzido através do sistema digestivo dos elefantes

Hacienda la Esmeralda

Hacienda la Esmeralda, no Panamá, foi apostar na venda de café em 1988. Antes disso, a fazenda tinha como principal recurso o gado leiteiro.

Após alguns estudos e testes, descobriram que o café de lá tinha um sabor perfeitamente equilibrado. Ainda assim, a produção está em constante melhoria. E, se você quiser provar esse café, prepare seu bolso, porque o quilo do grão custa aproximadamente US$ 350.

Café Hacienda La Esmeralda
Café Hacienda La Esmeralda

Jacu Bird Coffee

Um representante brasileiro da lista é o Jacu Bird: mais um para lista de produções animais.

O café, depois de colhido, é ingerido pelo Jacu, que engole o grão inteiro, sem mastigar. Mais uma vez, assim como nos outros dois casos já vistos acima, o café passa pelo sistema digestivo do animal e é submetido a ácidos e enzimas. O quilo do café custa, aproximadamente, US$ 1.150.

Jacu Bird Coffee, feito no Brasil
Jacu Bird Coffee, feito no Brasil

Saint Helena Coffee

O Saint Helena é definitivamente o café de Napoleão Bonaparte. O imperador, apaixonado pelo sabor do grão, cultivou-o na ilha de Santa Helena, localizada no meio do Oceano Atlântico.

Diferente das opções acima, que possuem alto preço por conta de seu processo de produção, o Saint Helena é um café caro por conta da localização: os custos de transporte são altos. Então, se quiser experimentar, deverá desembolsar aproximadamente US$ 79. Entretanto, quem já experimentou diz que vale a pena: o café de Saint Helena possui um sabor suave de caramelo, e algumas notas cítricas.

Saint Helena Coffee, o café produzido no meio do Oceano Atlântico
Saint Helena Coffee, o café oficial de Napoleão Bonaparte

Finca El Injerto

A fazenda El Injerto ganhou 9 vezes o Cup of Excellence, uma competição anual realizada em vários países para encontrar os cafés da mais alta qualidade produzidos todos os anos. O café é produzido há mais de 100 anos e o investimento pode chegar a cerca de US$ 100 o quilo.

Finca El Injerto, um café caro e delicioso
Finca El Injerto, um café caro e delicioso

Starbucks Quadriginoctuple Frap

Que os cafés do Starbucks são deliciosos a gente sabe! O que você provavelmente não sabia é que dentro do cardápio existe um café especial, que custa, aproximadamente, US$ 47. O preço alto se deve ao fato de ser produzido em quantidades limitadas. Além disso, o café é aromatizado com mocha, lascas de baunilha, sorvete de caramelo e uma série de outros ingredientes que vão dando toques especiais de sabor.

O café mais caro do Starbucks, que custa mais de 40 dólares por copo
O café mais caro do Starbucks, que custa mais de 40 dólares por copo

E você?

Já experimentou ou gostaria de experimentar alguma das opções acima? Conte para a gente nos comentários desse post.

Mas, acima de qualquer preço, é bom lembrar: café bom é aquele café que te abraça, como os do Grão Gourmet.

Assine e receba em casa!

Assinaturas

Assinaturas

A partir de: R$ 29,80 / mês

5 thoughts on “Conheça os cafés mais caros do mundo

  1. Felipe says:

    Jacu bird encontra-se facilmente nas montanhas do estado do ES. A aproximadamente 1h de carro saindo da capital Vitoria até a cidade de Pedra Azul, ou então no próprio aeroporto de Vitória de uma fazendo que começou a produzir o café em 2018. Um excelente e exclusivo café que sempre tenho em minha casa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.