Cientistas sequenciam o DNA do grão de café Arábica

De acordo com o site Daily Coffee News, um grupo de pesquisadores da Davis University of California (UC Davis), nos Estados Unidos, conseguiram sequenciar o genoma do café Arábica, umas das espécies mais cultivadas no mundo, principalmente nas América do Sul e Central.

Café arábica plantação
Joe Proudman / UC Davis.. fazendeiro Jay Ruskey Good Land Organics, esquerda, e o pesquisador Juan Medrano UC Davis, direita, 15 de dezembro, 2016.

O que isso traz de benefício?

Os especialistas acreditam que isso pode ajudar na criação de novas variedades do café e na melhora da sua qualidade, além de ser peça chave para garantir sua produção nas próximas décadas.

Palavra do pesquisador:

“Esta sequência contém informações cruciais para o desenvolvimento de variedades de café de alta qualidade, resistentes a doenças e adaptáveis às mudanças climáticas que podem ameaçar a produção global de café nos próximos 30 anos”, explica o geneticista Juan Medrano, um dos cientistas responsáveis pela pesquisa.

“Esperamos que a descoberta beneficie todos os envolvidos com o café – dos cafeicultores aos consumidores de todo o mundo”, acrescenta.

Café arábica pesquisa
Joe Proudman / UC Davis…o proprietário da Good Land Organics, Jay Ruskey, mostra um grão de café, 15 de dezembro, 2016.

A pesquisa

Os cientistas, que trabalharam com um agricultor que planta a espécie por muitos anos na Califórnia, recolheram amostras genéticas de diferentes tecidos e de etapas de desenvolvimento de 23 árvores de Geisha, uma variedade do café arábica considerada de grande qualidade.

Após o processo, os pesquisadores estimam que a espécie UCG-17 Geisha tem um genoma formado por 1,19 bilhões de pares de bases, o que é aproximadamente um terço do genoma humano.

Em comunicado, a UC Davis ainda afirma que no futuro as pesquisas vão se concentrar nas vias moleculares que estão associadas com a qualidade do café, para melhorar a compreensão das características do seu sabor.

Veja o vídeo oficial da universidade

Para saber mais sobre o estudo, confira aqui (em inglês).

Sequenciando o Café Robusta

Em 2014, um consórcio internacional composto por 11 países – incluindo o Brasil – sequenciou, pela primeira vez no mundo, o genoma completo do café, neste caso o Robusta (Coffea canephora).

Com as pesquisas efetuadas, o sequenciamento permitiu descobrir que a síntese de cafeína no café evoluiu de forma independente a partir de plantas de cacau e chá.

Confira o estudo clicando aqui (em inglês).

Um abraço cafeinado!

 

Elaine Felix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *