Para as crianças e muita gente já bem crescida, a Páscoa é sinônimo de chocolate. Muito, de preferência. Porém, existem outras tradições no mundo para comemorar essa data religiosa – para os cristãos ela representa a ressurreição de Cristo e para os judeus, a fuga do Egito para Israel.

No ano passado, a polonesa Kasia Patyra e a belga Kim De Craene passaram a mostrar que não há Páscoa em família, na Polônia, se cada uma não tiver a sua “babka”, um bolo parecido com pão doce.

A data tem a mesma importância que o Natal naquele país. Por isso ela é comemorada em dois dias: no sábado, quando as pessoas colocam alguns alimentos em uma cesta e uma “babka” pequena para serem abençoados pelo padre durante a missa. E no domingo, quando a família se reúne para compartilhar essa comida benta. Porém, uma babka no tamanho original (como a da foto) está sempre pronta para ser servida com fartura no lanche da tarde.

As sócias começaram a divulgar um pouco dessa tradição quando criaram a BeZa Doces (suspiro, em polonês), que também produz brownies, trufas, wafles, pão de mel, entre outros. “São Paulo é uma cidade cosmopolita e achamos que esse bolo despertaria a curiosidade dos interessados em outras culturas”, comenta Kasia.

A intuição delas estava certa. Às vésperas da Páscoa, o ateliê situado em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, é tomado por fileiras de babkas. Por enquanto, a dupla trabalha apenas por encomenda e atende alguns comércios na cidade.

A culinária e seus significados
Além da babka, na Polônia, muitos outros pães e bolos fazem parte da culinária pascal em diferentes países. Na Itália tem a famosa colomba (encontrada de forma industrializada no Brasil) e a “gubana”, uma massa parecida com brioche e recheada com avelãs, macadâmias e passas. Na Ucrânia há um pão doce (Paska) e em Portugal come-se o “pão folar” (doce ou salgado), feito com um ovo cozido por dentro, símbolo de renovação.

A equipe do Grão Gourmet deseja uma feliz Páscoa a todos e compartilha a receita da babka cedida gentilmente pela BeZa Doces. Para acompanhar o bolo delicioso, sugerimos o café do mês, da Fazenda Boa Sorte, no cerrado mineiro – uma harmonização que só poderia acontecer no Brasil: o encontro do café mineirinho com o bolo polonês.

foto-3Babka
(1 a 2 unidades*)

Ingredientes
500 g farinha de trigo
150 ml leite morno
150 g açúcar
100 g manteiga derretida
6 gemas
40 g fermento fresco
1 colher (sopa) essência de baunilha
1 pitada de sal
Raspas de limão- siciliano
Açúcar de confeiteiro

Modo de preparo
Coloque o fermento em um recipiente, 1 colher (sopa) de açúcar, o leite morno (ele anula a ação do fermento se estiver quente) e 100 g de farinha. Misture tudo, cubra com um pano limpo e deixe a massa dobrar de tamanho. Em dias quentes, esse processo costuma ser rápido. Depois que a massa tiver crescido, bata as gemas com o restante do açúcar. Transfira essa mistura para a massa e acrescente a farinha restante, a pitada de sal, as raspas do limão e a baunilha. Sove bem até que a massa desgrude das mãos e incorpore bolinhas de ar. Por fim, coloque a manteiga previamente derretida (fria) e trabalhe a massa mais um pouco. Coloque-a em forma untada com manteiga e farinha, e deixe descansar por uma hora, coberta com pano e em lugar quente. Leve o bolo para assar em forno preaquecido (200ºC) por 10 minutos, primeiramente, e depois abaixe a temperatura para 180ºC e deixe assar entre 40 e 50 minutos, até ficar levemente corado. Para saber se o bolo está bem assado, faça o teste do palito: se ele sair um pouco lambuzado de massa crua é porque precisa ser assado mais um pouco. Espere esfriar, desenforme em um prato bonito, polvilhe com açúcar de confeiteiro e celebra a Páscoa em família e com amigos.

*O rendimento do bolo depende do tamanho de sua forma.

Por Janice Kiss

Imagem #1: G1
Imagem #2: Janice Kiss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *