Vai faltar café?

pé de café frutos

Algumas projeções indicam que a demanda por café deve dobrar até 2050.

Porém, as áreas para cultivo de café no mundo devem reduzir pela metade até esse mesmo período, devido ao aquecimento global que inviabilizará algumas dessas áreas.

Então vai faltar café?

Consumo e produção de café no mundo

O consumo de café no mundo chegou próximo de 165 milhões de sacas (padrão 60 kg) no ano de 2018 e a previsão é que alcance o recorde de 167,9 milhões de sacas em 2019.

Já a produção mundial para 2019 é estimada em 169,1 milhões de sacas, ou seja, 5,4 milhões de sacas a menos que 2018, que foi o ano de produção recorde no Brasil (ano de bienalidade positiva) com 64,8 milhões de sacas (dados da USDA – United States Department of Agriculture).

Com esses dois gráficos abaixo é possível visualizar o que foi dito acima.

À esquerda temos o gráfico de consumo e produção mundial de café, onde fica claro o crescimento do consumo ano a ano, uma curva acentuada que a produção de café não acompanha. Como o Brasil é o maior produtor de café do mundo, com 37% da produção mundial em 2018 seguido do Vietnã com 17%, a produções mais altas acontecem nos anos de bienalidade positiva no Brasil (temos um ano de alta e outro de “baixa” produção).

Mesmo assim, as produções tanto na alta como na baixa bienalidade no Brasil também crescem de um ano para o outro. Já os estoques mundiais de café estão em um nível mais baixo nos último anos e devem cair 2,8 milhões de sacas em 2019.

Gráfico consumo de café e estoques usda

Mas vai faltar café?

O consumo mundial de café está aumentando muito, principalmente porque países tradicionalmente consumidores de chá, estão consumindo cada vez mais café, como Japão e China. Se hoje esse consumo está em cerca de 165 milhões de sacas, estima-se que até 2030 o consumo mundial de café aumentará para 200 milhões de sacas e em 2050 dobre o valor atual!

Assim, a produção terá que crescer cerca de 165 milhões de sacas até 2050 para atender esse aumento.

Mas, para agravar esse cenário, há o aumento das temperaturas nos próximos anos que pode ameaçar as áreas cultiváveis de café no mundo todo!

Estima-se que metade da área utilizada para cultivo de café hoje, não seja mais viável em 2050. Em outras palavras, para atender a demanda crescente de café, os produtores terão que dobrar a produção com metade das terras onde há cultivo de café.

“Nós teremos menos café, preços mais altos e qualidades inferiores”,

É o que diz Dr. Tim Shilling, fundador da WCR – World Coffee Research, uma organização sem fins lucrativos de pesquisa e desenvolvimento.

Mas há esperança!

Existe uma variedade desenvolvida em laboratório chamada de híbrido F1. O conceito dela não é novo, foi concebido no final dos anos 90 e as primeiras variedades plantadas no início do anos 2000. Hoje a WCR é capaz de identificar cadeias específicas de código genético e molecular que são mais resistentes a doenças, rendem mais e possuem mais qualidade, selecionando os melhores “pais” com conjunto de DNA mais biologicamente diversificado, o resultado é a F1, que cresce mais rápido, dá frutos um ano antes e é menos suscetível a doenças.

Mas por enquanto, é muito caro produzir uma planta assim, pois exige clonagem e fertilização in vitro.

O que será que nos aguarda no futuro? Deixe sua opinião nos comentários.

Fonte:

USDA

Embrapa

Gear Patrol

O presente

Vamos aproveitar que hoje temos cafés de qualidade que podem chegar todo mês na sua casa!

Conheça nossa assinatura de cafés especiais!

Assinaturas

Assinaturas

A partir de: R$ 29,80 / mês

4 thoughts on “Vai faltar café?

  1. Brenner says:

    Deus nos livre dessas projeções. Não me imagino nesse cenário…desse jeito, vou ter que trabalhar para comprar café (mais do que já faço atualmente hehehe)

  2. gunter.hoepers says:

    O mercado vai regular. Os preços aumentando e se plantar café se torna compensador e cada vez mais rentável, quem estiver passando dificuldades no cultivo de outras culturas passará a plantar o que proporcionar o maior retorno. E a área plantada necessariamente terá de ser ampliada.
    E essa história de aquecimento global é uma ótima teoria para criar terrorismos e os espertos de sempre lucrarem em cima dos subdesenvolvidos. Há muitos fatores que precisam ser considerados, além do contínuo desenvolvimento tecnológico que sempre é “desconsiderado” na profetização de cenários catastróficos.

    • EDSON BENEDITO BASTOsS says:

      Parabens!! Raciocinio correto e elucidador. A tecnologia é dinâmica e, os avanços tecnológicos, farão que se produzam muita mais, em menor área cultivavel e menor investimento de capital.

    • Renata Kurusu Gancev says:

      Oi Gunter, bem colocado. Também acredito que esse cenário não irá acontecer, temos tecnologia e, como você disse, se o preço aumenta, teremos mais áreas de cultivo pelo mundo. Um abraço, Renata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.