Presente em aproximadamente 45% das lavouras brasileiras e utilizada em diversos países produtores de café, a varietal Catuaí é produto 100% brasileiro. Isso mesmo! Essa variedade de café não pode ser encontrada na natureza, pois esse foi fruto de muita pesquisa de cientistas do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). “Essa foi a primeira cultivar de cafeeiro arábica desenvolvida pelo homem, em 1972, pelas mãos do Dr. Alcides Carvalho, pesquisador emérito do IAC”, explica o pesquisador do IAC Gerson Giomo.

Na realidade, o catuaí começou a ser desenvolvido em 1949 e, somente em 1972, foi lançado oficialmente para o mercado. Segundo Gerson, o catuaí é proveniente do cruzamento entre Mundo Novo e Caturra e sua formação apresenta 75% de Bourbon e 25% de Típica. “Suas plantas, de porte baixo (cerca de dois metros), foram pensadas/projetadas para facilitar a colheita. Mas, ao mesmo tempo, o catuaí agregou vigor, a rusticidade e a produtividade do Mundo Novo”, explica. Seus frutos podem ser vermelhos (Catuaí Vermelho) e amarelos (Catuaí Amarelo) e adapta-se muito bem em regiões quentes e em solos de baixa fertilidade.

Veja a imagem abaixo da Lavoura

café catuaí
Catuaí Vermelho Variedade Café – Imagem IAC

Segundo o livro Glossário de Termos Utilizados na Cafeicultura, da pesquisadora da EPAMIG Sára Maria Chalfoun, “sua produção é bastante precoce, sendo que sua primeira colheita se dá aos dois anos”. Por ter boa resposta em diferentes regiões do Brasil, o catuaí pode ser encontrado em todas as regiões produtoras brasileiras de café.

Sua produtividade e fácil adaptação em ambientes totalmente diferentes fez com que essa descoberta brasileira seja sucesso em plantações espalhadas pelo mundo inteiro, inclusive na aclamada Colômbia!

Que tal provar um catuaí vermelho despolpado?

Entre no nosso clube de cafés especiais e receba esse mês o café torrado da Fazenda Boa Sorte 😉

Imagem: Grão Gourmet

Leia também:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *