Por Lucas Tavares

Assim como outras paixões nacionais o café também tem um Museu para chamar de seu. Localizado na cidade portuária de Santos (SP), a importância do Museu do Café vai além de sua data oficial de abertura, em 1998. Antes disso, o prédio abrigou a primeira bolsa de valores oficial dedicada ao comércio de café. Os tempos mudaram e hoje o museu é referência quando falamos de preservação, pesquisa e, claro, na divulgação da história e da cultura do grão negro no país.

“A ideia [de criá-lo] partiu de um grupo de profissionais da área do café que, em 1998, pressionou o então governador Mario Covas a recuperar parcialmente o edifício da Bolsa Oficial do Café. Covas sugeriu que ali houvesse uma atividade patrimonial para contar a importância do edifício. Assim, no mesmo ano, foi constituído o Museu do Café e a Associação de Amigos do Museu do Café. A Associação se qualificou em 2008 como Organização Social de Cultura, e o Museu, nessa data, passou a integrar o rol de museus da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, profissionalizando sua atuação”, conta Marilia Bonas, diretora executiva da instituição.

Museu do Café

O prédio escolhido para o Museu foi justamente o da já mencionada Bolsa Oficial do Café. Criada em 1922, a Bolsa servia como sede administrativa das negociações realizadas no estado de São Paulo, além de ser um edifício-monumento com arquitetura dedicada a cafeicultura. “Ambas as frentes são fundamentais para compreender a história do café e sua relação com o desenvolvimento do país até os dias de hoje”, diz a diretora.

Atualmente, o Museu é responsável pela “preservação, pesquisa e comunicação museológica, além de possuir uma série de atividades internas e externas que visam a preservação do café como objeto museológico fundamental para o Brasil”. Ela explica que projetos como história oral, mapeamento de acervos, formação de baristas, exposições temporárias e itinerantes, além de atividades culturais com o tema do café são realizados atualmente por lá.

“Visitar o Museu do Café é uma experiência ímpar. O edifício, por si só, vale a visita. Mas além disso, as exposições e atividades atendem todas as faixas etárias e dão para o público a escala de importância desse produto para o país e para o mundo”, conta.

Quem já visitou

Certamente concorda com as palavras de Marilia. Quem ainda não foi, fica nossa dica do tour virtual! Confira a agenda completa do Museu e se programe! Não perca esta oportunidade de conhecer/aprender ainda mais sobre café.

Equipe Grão Gourmet

A equipe Grão Gourmet que escreve para o blog é formada por: A Renata e o Boris, fundadores do Grão, e a Kelly, uma jornalista que sabe muito de café!

3 thoughts on “Você conhece Museu do Café de Santos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *