Micr. Faz. Furquilha do Rio – safra 14/15 (Jan/15)

Manoel Protázio de Abreu / MG

Microlote_M09_400pxA Fazenda Furquilha veio à família como herança. O avô, José Marques Abreu Neto, deixou 4 hectares de terra para seu filho Manoel Protázio de Abreu. Com muito trabalho e dedicação com sua família, Manoel expandiu as terras agrícolas e hoje eles têm 30 hectares de terra. Toda a família está envolvida nas plantações de café e não há funcionários. Todos eles participam na produção de café. Em um total de 14 pessoas, incluindo netos, filhos e filhas, todos vivem na fazenda.

Manoel teve 4 filhos: 3 filhos e 1 filha: Fabio, Joelma, Flavio e Gabriel. Alguns nasceram na própria fazenda. As crianças passaram a sua infância na família, brincando com os animais ao redor de pés de café e uma das coisas que eles mais gostam de fazer é se reunir em torno do fogão a lenha e preparar embutidos caseiros e queijos com a carne e o leite obtidos na fazenda. Eles também criam porcos, galinhas, vacas leiteiras e cuidam de um belo jardim de orgânicos. Os alimentos consumidos pela família são todos da fazenda. A água é abundante e clara e vem de quatro fontes naturais preservadas. O café produzido pela família ganhou o primeiro lugar no concurso de cafés especiais promovido pela Emater-MG em 2013, na categoria cereja descascado.

  • Região de origem: Matas de Minas, Espera Feliz e Dores do Rio Preto, estado de Minas Gerais

  • Fazenda: Furquilha do Rio

  • Produtor: Manoel Protázio de Abreu

  • Variedades: 100% Arábica – Catuaí vermelho

  • Processo: Cereja descascado

  • Altitude1.200 a 1.400 m

  • Florada: Outubro

  • Colheita: Início em Maio e término em Dezembro

  • Peneira: 16 acima

  • Pontuação: 85 pontos na escala SCAA

  • Notas: Frutado mel, amêndoas, boa finalização e corpo vinhoso

  • Certificações:
    logo-regiao-mata-minas

 HISTÓRIA DA REGIÃO DAS MATAS DE MINAS

 Imagem_furquilha

A região das Matas de Minas ou Zona da Mata, como também é conhecida, é marcada pela predominância da agricultura familiar e está situada na região sudeste do estado de Minas Gerais, perto da fronteira com os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

É uma origem produtora de cafés especiais, composta por 63 municípios e pioneira na qualidade artesanal, trabalho manual e técnicas desenvolvidas para produzir alta qualidade. O resultado de tudo isso é uma diversidade de nuances e sabores diferenciados presentes nos cafés, que se destacam nas principais premiações nacionais e internacionais.

O nome Zona da Mata é devido à predominância da Mata Atlântica, que hoje pode ser apreciada dos locais mais altos. O terreno é acidentado, com muitos morros. A Serra do Caparaó faz fronteira com o Espírito Santo, onde estão localizados o Pico da Bandeira e o Pico do Cristal.