icon-enfeite

Você só acorda depois de uma boa xícara de café? Saiba que não é só você, o café é uma das bebidas mais consumidas no mundo todo. Cada período da história do consumo do café é chamado de “onda” (do inglês wave). Existem 3 ondas que descrevem esses períodos: primeira onda, segunda onda e terceira onda.

A primeira onda, dos anos 30 aos 60, foi caracterizada pela produção em massa devido à explosão de consumo de café, principalmente, após a Segunda Guerra Mundial. O café era necessário e não apreciado, e o preço baixo era a principal preocupação. Microlotes de CaféA segunda onda, dos anos 60 aos 90, foi quando o café especial entrou em cena e grandes redes de cafeterias, como a Starbucks, passaram a oferecer um café com maior qualidade, porém padronizado por uma torra mais escura. É nessa onda que o uso de máquinas de expresso expandiu bastante. A terceira onda, dos anos 90 até os dias de hoje, é o período onde o café especial passou a ser degustado por seus aromas e sabores. Assim como o vinho, o café também tem o seu terroir. Nessa onda surgiram as primeiras pequenas cafeterias especializadas, que valorizam a qualidade mais do que a quantidade.

Na terceira onda passam a ser valorizados:

  • Rastreabilidade do café até a fazenda produtora
  • Sabores e aromas de cada café, ressaltados por torra mais branda e métodos de preparo não automatizados, como o café filtrado, que ressalta essas características
  • Cafés de origem única, sem misturas, para sentir todo sabor do local onde é produzido
  • Cafés com certificações de sustentabilidade e comércio justo, valorizando o produtor de café
  • Novos métodos e utensílios para o preparo do café em casa e nas cafeterias especializadas, como Hario V60, Chemex, Aeropress, Sifão, entre outros.

microleteO termo “microlote” está ligado à terceira onda dos apreciadores de café. Estes pequenos lotes têm garantia de origem, qualidade e excepcionalidade. O que o torna diferente ao consumidor final é o prazer de tomar um café único, sem misturas de origens e características, ou seja, são cafés completos em sua essência. E vai além, pois fornece ao consumidor acesso a todas as informações da bebida, origem, qualidade, meio de produção, secagem e a história por trás de cada grão.

O café, mais que uma bebida do dia a dia, apresenta-se nos microlotes como um momento e produto únicos. Durante os minutos de apreciação da bebida é que surge o ponto mais interessante dos microlotes, que é o questionamento sobre como aquela bebida chegou a um nível tão alto de qualidade. E nos microlotes você tem todas essas respostas.

Sempre que um microlote é vendido, a intenção não é simplesmente comercializar um café, mas sim ir além, pois trata-se de um produto único, de volume reduzido, mas de qualidade surpreendente. A intenção é valorizar seu criador, o produtor. Para produzir um microlote, o processo, desde a lavoura até a xícara, é o responsável pela diferenciação.

cafe_coadorO empenho dos pequenos produtores em colher apenas os melhores e mais maduros grãos, secá-los em camas suspensas, dentro de estufas muitas vezes, é o que o faz diferente de todos os outros, além de um processo criterioso de torra.

Convidamos você a degustar um café de história, não apenas “tomar um cafezinho”, mas ir a fundo. Chegar até onde este café é produzido. Muitos microlotes têm apenas 5 sacas, ou menos até, e, aquele que é convidado a apreciar esta bebida, deve fazê-lo com calma e prazer, sentindo-se privilegiado por poder ter acesso a um produto tão especial.

Então, mais do que nunca, vamos valorizar este momento e seu criador, apreciando cada xícara dessa deliciosa bebida!

Texto: Lorena Barreto Leonel – Trader da Cafebras – Cafés do Brasil e Cupping Judge SCAA
Colaboração: Renata Kurusu Gancev – GrãoGourmet.com